quarta-feira, 13 de maio de 2009

O Elogio



Poucas coisas motivam mais as pessoas que elogios. As pessoas respondem na justa medida de nossa expectativa a respeito delas. Dizer que elas fizeram um bom trabalho faz com que se esforcem ainda mais para continuar fazendo um bom trabalho.
Quando os elogios são feitos publicamente, seus benefícios multiplicam-se. A pessoa elogiada não só se esforça mais, mas também passa a ter uma reputação positiva. Isso aumenta o valor da pessoa diante dos outros e os motiva a serem como ela.
Certa vez ouvi uma história que mostrava como isso funcionava.
Poucos meses depois de se mudar para uma pequena cidade, uma mulher reclamava a seu vizinho sobre o péssimo serviço que havia recebido de uma mercearia local. Ela sabia que seu vizinho era amigo do proprietário e esperava que ele transmitisse sua queixa.
Na visita seguinte que ela fez a mercearia o proprietário recebeu-a com um largo sorriso e disse o quanto estava feliz em vê-la novamente. Esperava que ela estivesse gostando de sua cidade e, ainda, disse que teria imenso prazer em ajudá-los a se estabelecerem. Atendeu pronta e eficientemente o pedido que ela fez. Mais tarde, a mulher relatou a miraculosa mudança para seu novo amigo.
"Suponho que você tenha dito a ele como achei ruim seu atendimento, não disse?" ela perguntou.
"Bem, não", respondeu o vizinho. "A bem da verdade, espero que não se importe - disse-lhe que você estava surpresa de ele ter conseguido montar numa cidade pequena uma das mercearias mais bem dirigidas que você já havia visto

(autor desconhecido)

Um comentário:

Valerie disse...

Olá, Ângela!
Penso que no meio espírita, a questão do elogio ainda não foi bem compreendida. Muito se fala em não elogiar esse ou aquele tarefeiro, para que o orgulho não seja estimulado nele.
Não acho que seja bem assim. Como mostra o texto, a terapia do elogio edifica, estimula. Quando parte de um coração sincero, vem carregada de vibrações benéficas, que promevem a resposta imediata em forma de mais empenho.
O Chico foi um missionário entre nós, ele recebeu essa advertência de Emmanuel, para que seu trabalho permanecesse com a pureza necessária. Ele nos legaria tesouros, para toda humanidade, e as bajulações e elogios que Chico recebesse, precisariam ser bem administrados por ele. E foram.
Nós, precisamos sim de palavras de estímulo, incentivo, coragem, para fazermos as tarefas que nos propomos. Isso alegra e faz bem!